ABAS

IAH

Você está em: HOME > Notícias

Notícias

Começam as audiências públicas sobre o uso do Aqüífero Karst

Começam, a partir da próxima terça-feira (30), em Almirante Tamandaré, as audiências públicas relativas ao Aquífero Karst, dentro do processo de licenciamento para regulamentação do uso da ág

Começam, a partir da próxima terça-feira (30), em Almirante Tamandaré, as audiências públicas relativas ao Aquífero Karst, dentro do processo de licenciamento para regulamentação do uso da água subterrânea. Vão participar das audiências, que serão realizadas também em Campo Largo, Colombo, Campo Magro, Itaperuçu e Bocaiúva do Sul, técnicos da Sanepar, Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Suderhsa, Comec e Mineropar, além de representantes das prefeituras. A comunidade está convidada a participar das reuniões.

Segundo Maria Arlete Rosa, diretora de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar, as audiências fazem parte de um conjunto de medidas para a exploração sustentável do Aquífero Karst. Além disso, elas permitirão harmonizar a necessidade de fornecimento de água tratada à população e as exigências ambientais feitas pelo Ministério Público, Ibama e ONGs ecologistas. “Buscamos um processo transparente e, por isso, estamos promovendo a integração de todos os órgãos e pessoas ligadas ao tema. Só assim poderemos definir o papel e as responsabilidades de cada um na exploração desse recurso natural”, explica.

A diretora lembra ainda que será imprescindível que os municípios na área do Karst também ajustem seus Planos Diretores de Uso de Solo e Água ao licenciamento ambiental. “Só assim poderemos ter certeza de que não haverá ocupação urbana nas áreas dos poços, evitando conflitos entre a atividade de abastecimento e o uso habitacional do solo”, explica.

O licenciamento do Aquífero Karst é discutido num momento oportuno, já que a Sanepar precisa planejar a longo prazo as alternativas para garantir a oferta de água tratada à população da Região Metropolitana de Curitiba, que terá, em 2025, mais de cinco milhões de habitantes. Para se ter uma ideia, as populações de Bocaiúva do Sul e Itaperuçu dependem 100% da água do aquífero e, no caso desta última, há um déficit de 29 litros por segundo. Ao todo, estão ativos 35 poços no Karst, com uma produção de 523 litros por segundo, enquanto a demanda atual dos seis municípios é de 1.422 litros/segundo. A diferença é suprida pelos mananciais de superfície do Sistema Integrado de Curitiba.

Audiência - A audiência de Almirante Tamandaré será realizada a partir das 19 horas, no Centro de Convenções Edson Dalk (Rua Raquel Candido Siqueira, 533, esquina com Rua Antônio Zen, no centro de Almirante Tamandaré). A comunidade está sendo mobilizada pela prefeitura, através da distribuição de convites, faixas espalhadas pela cidade, e outros meios de comunicação.

Na seqüência, as audiências serão realizadas em Colombo (1º/7), Bocaiúva do Sul (2/7), Itaperuçu (7/7), Campo Magro (8/7) e Campo Largo (9/7).

Fonte: Agência de Notícias do Estado do Paraná



Notícia publicada em 26/06/2009.








Copyright © - ABAS - Associação Brasileira de Águas Subterrâneas