ABAS

IAH

Você está em: HOME > Notícias

Notícias

Aquífero Guarani: Bacia do Pardo prevê projeto que visa monitorar outras 14 bacias de todo o Estado de São Paulo

Por Danielle Castro, Gazeta de Ribeirão

A Bacia do Pardo pretende ser chamariz para monitoramento do Aquífero Guarani em outras 14 bacias do Estado. A retomada do projeto piloto desenvolvido na região de Ribeirão Preto até 2008 será feita com verbas do Fundo de Recursos Hídricos do Estado (Fehidro), mas o tomador será uma instituição particular, a Fundação de Apoio à Pesquisa Agrícola (Fundag), que fechou ontem a parceria.

A proposta , segundo Paulo Finotti, vice-presidente do Comitê de Bacia do Rio Pardo (CBH-Pardo), é aproveitar os equipamentos deixados pelo programa internacional Guarani e estimular o Estado a coordenar no futuro esse estudo contínuo em todos os comitês abastecidos pelo reservatório. O investimento previsto para etapa em Ribeirão e região é de R$ 350 mil em três anos.

No término desse período, a gestão do projeto seria assumida pela Coordenadoria de Recursos Hídricos Estadual. "Ribeirão responde por 25% do uso do Guarani e por isso tem mais inciativa, mas há comitês que podem fazer esse monitoramento na área deles. Pretendemos botar (o projeto) para funcionar e deixar andando", disse o geólogo Marco Massoli, ex-coordenador do piloto de Ribeirão e atual membro do projeto de retomada.

Se a coordenadoria promovesse o caso desde já, teria que pedir a verba por meio do Departamento de Água e Energia Elétrica (DAEE) ou da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb). De acordo com Renato Crivelenti, diretor-adjunto do DAEE e secretário executivo-adjunto do CBH-Pardo, o fato dos órgãos serem públicos exigiria licitação, o que atrasaria o processo - a proposta para disputar verbas do CBH-Pardo no Fehidro 2010 precisa ser enviada até março.

O projeto vai acompanhar o rebaixamento e as mudanças físico-químicas da água do Guarani em seis cidades da regional, além de esclarecer a polêmica deixada sobre o real potencial de recarga existente na Zona Leste de Ribeirão. Serão 24 poços de monitoramento distribuídos por Ribeirão, Jardinópolis, Serrana, Cravinhos e Altinópolis.

Aquífero pode passar à União

O interesse do governo federal em mudar o domínio sobre as águas subterrâneas do estados para União colocará em risco os projetos de preservação, saneamento e desenvolvimento previstos para Bacia do Pardo. Se a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) nº 43, que tramita na Câmara dos Deputados, passar os recursos da cobrança da água, impulsionada na região pelo reservatório, deixarão de ficar na bacia e serão repassado integralmente à União. Além disso, a União tem como motivação deter o controle estratégico sobre o Guarani, tendo em vista as mudanças a possível falta de água nos próximos anos. Para Marco Artuzo, gerente regional da Cetesb, o último relatório sobre abastecimento nos municípios da Agência Nacional das Águas (ANA) já mostraria a intenção do governo em valorizar a captação superficial na região de Ribeirão. (DC)

Ribeirão Preto recebe estudo

Ribeirão Preto recebeu nesta semana o material impresso com os resultados dos cinco anos de pesquisa realizados pelo Projeto Sistema Aquífero Guarani na Argentina, no Uruguai, no Paraguai e no Brasil, cujo piloto foi realizado na cidade. Há cerca de 15 kits trazendo mapas e dados do reservatório. Como há poucos exemplares, os livros são destinados à bibliotecas de universidades que tenham cursos e linhas de pesquisa na área. (DC)

Fonte: Jornal A Gazeta de Ribeirão



Notícia publicada em 11/01/2010.








Copyright © - ABAS - Associação Brasileira de Águas Subterrâneas